Arhive pe categorii: Português Literatura

Coleção-C.H. SPURGEON- Português






O Rasto de Sangue

“Não estou salvo!”

“Não estou salvo!”
“Passou a sega, findou o verão, e nós não estamos salvos.” (Jeremias 8.20)
Caro leitor, esta é a sua triste condição? Mesmo sendo avisado do julgamento por vir e exortado a buscar a salvação, ainda assim, até agora você não está salvo? Você sabe qual é o caminho da salvação; tem lido sobre isso na Bíblia; ouve pregações a respeito e amigos lhe explicam o assunto. Porém, apesar de tudo, você despreza e, portanto, não está salvo. Não haverá desculpas para você, quando o Senhor julgar os vivos e os mortos. O Espírito Santo tem abençoado, com maior ou menor intensidade, a Palavra que lhe é pregada; tem trazido, da presença divina, momentos de refrigério. Mesmo assim, você se encontra sem Cristo. Assim como as estações, essas oportunidades de esperança lhe chegaram e se foram – seu verão e sua colheita já passaram – e você ainda não está salvo.
Os anos se sucedem em direção à eternidade; logo chegará o último ano de sua vida. Sua juventude logo passará; sua varonilidade estará se escoando, e você ainda não está salvo. Pergunto-lhe: Você será salvo ainda? Há qualquer possibilidade disso? Mesmo as ocasiões mais propícias não lhe levaram a salvação. Seria o caso de outras oportunidades alterarem a sua condição? Vários meios já falharam com você; até mesmo o melhor dos métodos, usado com perseverança e com a maior afeição. O que mais poderá ser feito por você? A aflição e a prosperidade não mais lhe impressionam; lágrimas, orações e sermões se perderam em seu coração vazio. Não se esgotaram as probabilidades de você um dia ser salvo? Não é mais que provável que você permanecerá como está , até que a morte feche para sempre as portas da salvação? Você poderá rejeitar esta suposição; entretanto, ela é racional, pois quem não se lava em águas abundantes, quando as encontra, muito provavelmente permanecerá imundo até o fim. Se o tempo apropriado não chegou, por que haveria de chegar? É natural temer que ele nunca chegará e que, à semelhança de Félix, você nunca encontre ocasião apropriada, até que esteja no inferno. Oh! Considere o que é o inferno e a terrível possibilidade de ser em breve lançado nele!
Leitor, caso você morra sem ser salvo, não haverá palavras para descrever a sua perdição. Você deveria lamentar-se profundamente pela triste estado, falar a respeito dele com gemidos e ranger de dentes. Você será punido com a destruição eterna, banido da glória do Senhor e da glória do seu poder. Esta voz amiga deseja alertá-lo e conduzi-lo à uma vida de seriedade. Oh! Seja sábio a tempo e, antes que passe a oportunidade, creia em Jesus, que é capaz de salvá-lo completamente. Utilize o tempo presente para refletir. Se, em humilde fé em Cristo, houver arrependimento em sua vida, isto será o melhor a lhe acontecer. Não permita que este ano passe e você continue sem perdão; nem que o repicar dos sinos do ano novo o encontrem sem o gozo verdadeiro. Creia em Jesus e viva – agora, agora, agora.
“Escapa-te por tua vida; não olhes para trás de ti, e não pares em toda esta campina; escapa lá para o monte, para que não pereças.” (Gn. 19.17). C. H. Spurgeon

Essa Igreja Batista está Procurando Você se qualifica?

Essa Igreja
Batista está

Pecadores
Você se qualifica?

PECADOR!
Esta é uma palavra mal recebida! A nossa geração tem praticamente abolido esta palavra do dicionário. Atualmente poucos estão sinceramente dispostos a serem reconhecidos como tal. A maioria das pessoas não se responsabiliza pelo seu próprio pecado.

Nós acreditamos que este é o tempo oportuno para enfatizar, outra vez, esta palavra bíblica que foi esquecida!

O Que É Um Pecador?

Obviamente o pecador é o indivíduo culpado por pecado. O que é o pecado? Pecado é não amar a Deus de todo o coração. Não é necessário aparecer nas manchetes por ter cometido um crime notório para ser qualificado como um pecador. Se você simplesmente não ama a Deus supremamente, conclui-se que você é um pecador. Pecados como a
omissão (não sendo ou fazendo o que Deus requer) são, na visão de Deus, tão condenáveis como os pecados de comissão (fazendo o que Deus proíbe). Toda e qualquer divergência ao padrão santo de Deus é pecado (I João 3.4), não importando seu tamanho, forma ou intenção, e, portanto merece o castigo eterno.
„Mas realmente eu sou tão ruim?” você pode protestar. A Bíblia diz que sim! „Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Rm 3.23), “Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça.” (Isaías 59.2).
Somente a morte de Jesus Cristo, o Filho de Deus, pode salvar-nos do pecado e isso mostra a impiedade do pecado.
Por Que Procuramos os Pecadores?
• OS PECADORES são os únicos que podem se salvar: „E Jesus … disse lhes: … eu não vim chamar os justos, mas, sim, os pecadores ao arrependimento.” (Mr 2.17)
• OS PECADORES são as únicas pessoas por quem Cristo morreu: „Esta é uma palavra fiel, e digna de toda a aceitação, que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, de quem eu sou o principal.” (I Timóteo 1.15)
• OS PECADORES, a menos que se arrependam, sofrerão o tormento eterno da santa ira de Deus: „Desapareçam da terra os pecadores, e os ímpios não sejam mais” (Salmo 104.35), „se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis” (Lucas. 13.3), „Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicários, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre” (Apocalipse 21.8).
BOAS NOTÍCIAS DE DEUS PARA O PECADOR
Se você é um pecador nós temos boas notícias para você. Não que você possa salvar-se a si mesmo, nem ajudar a Deus a ti salvar. As boas notícias são: Deus salva os pecadores e Ele pode salvar a você. Que misericórdia surpreendente! Devido o sofrimento de Cristo na cruz, Deus livra os pecadores do castigo e os perdoa. Como a Bíblia diz: “Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo” (Atos 16.31), e ainda “Em Jesus temos redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça” (Efésios 1.7). Realmente, Ele faz mais que perdoar! Ele justifica, adota e santifica os pecadores, e, no fim, os levará ao santo céu para sempre.
Cristo recebe livremente os pecadores que vêm a Ele sem pensar na sua nacionalidade, idade, inteligência, riqueza, etc. e salva alguns cujos pecados terríveis são publicamente conhecidos; Ele salva alguns cujos pecados são conhecidos somente no íntimo da própria consciência. „O que encobre as suas transgressões nunca prosperará, mas ó que as confessa e deixa, alcançará misericórdia.” (Provérbios 28.13).

VOCÊ NÃO É UM PECADOR?
Se você não é um pecador, nós não temos nenhuma boa notícia para você. A única mensagem que nós podemos declarar a você é que futuramente a humilhação pelo qual passará mostrará a sua condição desesperada de pecador. Negar que é um pecador pode ser o pior de todos os pecados! „Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós.” (I João 1.10).

VOCÊ ESTÁ CONVIDADO
Amigo, somos uma família feliz e amiga, e seguimos Jesus Cristo como Salvador e Senhor. Sua visita será um prazer! Vindo para igreja ela não o salvará, mas é um meio pelo qual você ouvirá a verdade de Cristo. Por Cristo, os pecadores são salvos. Autor. Pastor Daniel Chamberlain, EUA

Porque Sou Batista

Porque Sou Batista
Pastor Calvin Gardner
Texto: Ml. 3.1; Ef. 3.14-21
Introdução – Que fique esclarecido já no inicio deste estudo que não estamos tratando diretamente sobre a salvação nesse estudo. Igreja nenhuma salva, nem mantém qualquer salvo nessa condição. Também não existe nenhuma igreja que tem exclusividade da salvação. Nenhuma denominação é dona da verdade ou tem a chave do céu ou do inferno. Cristo é A Verdade, portanto, Ele é o Dono da Verdade (Jo. 14.6). A chave do céu e do inferno pertence a Jesus (Ap. 1.18; 3.7).
Devo deixar claro também que a igreja não é a coleção de todos os salvos no mundo. A Bíblia usa a palavra “igreja” para referir-se a uma reunião de pessoas que tem fins especificas. Por exemplo, em Atos 19.39, a palavra grega que é traduzida “igreja” (#1577, Strong’s) na sua maioria das vezes no Novo Testamento, é traduzida neste caso “assembléia” para referir-se à assembléia jurídica. Pessoas ajuntadas para tratar assuntos jurídicos biblicamente são uma ‘ecclesia’, congregação, reunião, ou igreja. A Bíblia não usa o termo ‘igreja’ para falar de todos os salvos na terra e no céu, mas de grupos dos salvos separados para obedecer as Escrituras. A Bíblia usa “família de Deus” (Ef. 3.15) ou “Reino de Deus” (Jo. 3.3-5) para falar da totalidade dos salvos. Quando há um grupo de pessoas reunidas conforme o padrão neotestamentário, aí é uma igreja. Quando há mais de um destes grupos de pessoas reunidas conforme o padrão neotestamentário, a Bíblia usa o termo “igrejas” (Gl. 1.2; Ap. 1.20). Portanto não há nenhuma “igreja” no mundo hoje que reúne todos os salvos.
Mesmo que nenhuma igreja salva, e a igreja não é a coleção de todos os santos, pode-se perguntar: Que importância há de ser membro de uma igreja? A mensagem correta da salvação só pode ser declarada corretamente pelos que a conhecem. Se a Bíblia não é manuseada de forma correta, uma igreja pode deturpar o Evangelho. Assim se vê a importância da igreja. Também a obediência do salvo é importante para Deus (Jo. 4.24-25). Pela obediência correta do salvo Ele é glorificado. Portanto, se percebe a importância de uma igreja que ensina cabalmente a Verdade.
A Palavra “Batista” – O profeta Malaquias proferiu uma profecia dizendo que Deus enviará diante dele o Seu mensageiro, “que preparará o caminho diante de Mim” (Ml. 3.1; Is 40.3; Lc. 1.76). Quatrocentos anos depois se cumpriu essa profecia. Jesus, referindo-se a este homem, destacou-o como sendo “muito mais do que profeta” (Mt. 11.9). Jesus ainda diz deste: “que entre os que de mulher têm nascido, não apareceu alguém maior”. Pela inspiração do Espírito Santo, Deus deu um nome distinguido a este homem chamando-o “João o Batista” (Mt. 11.11). Nada ruim ser chamado Batista se Deus assim o aprovou. A palavra grega aqui traduzida ‘Batista’ significa: aquele que batiza (#910, baptistes, Strong’s). O titulo “o Batista” era dado a João por ele imergir os que atenderam a sua mensagem de arrependimento dos pecados e creram pela fé no Senhor Jesus como Salvador (Mt. 3.1-8). Não é de primeira importância o seu batismo, mas a sua mensagem, ou seja, se você já arrependeu-se dos seus pecados e crê no Senhor Jesus Cristo. Por João batizar os salvos ele foi chamado “o Batista”. O nome “Batista” veio da prática deste destacado homem enviado por Deus (Jo. 1.6; Lc. 1.76-80).
Existe uma igreja hoje que recebeu o seu nome pela sua prática de batizar biblicamente os que desejam ser membro dela. Como João o Batista pediu que produzissem frutos dignos de arrependimento (Mt. 3.1-8; Lc. 3.8), essa igreja batiza somente os que comprovadamente são salvos (At. 2.41; 26.20). Como existem grupos que não se identificam com a doutrina e prática neotestamentária, os salvos vindo de tais grupos necessitam receber o batismo neotestamentário primeiro para serem membros. Por causa dessa prática bíblica (At. 19.1-7) a historia relata que os inimigos desta igreja deram, entre outros nomes, o nome de Anabatistas, e depois foram chamados simplesmente por Batistas. Eu sou um destes, um Batista.
Infelizmente ainda hoje é evidente confusão sobre o que é um Batista. Muitos pensam que os Batistas são Protestantes e saíram da igreja católica. Outros pensam por ter o nome Batista, os Batistas começaram no século XVI quando o nome Batista veio ser popular. Outros pensam que os Batistas são iguais às outras igrejas que imergem os adeptos delas (Mórmons, Testemunhas de Jeová, Pentecostais). São errôneas todas estas idéias que muitos têm sobre os Batistas. Para esclarecer estes erros trago esse estudo com razoes bíblicas porque sou Batista. Eu creio que se você é salvo e deseja servir ao Salvador Jesus Cristo corretamente; você também deve ser um Batista.
I. O Seu Começo é Bíblico
A Igreja neotestamentária que veio a ser chamada “Batista” tem um começo bíblico pois começou com Jesus Cristo. Jesus interpretou a profecia de Malaquias que nos diz: “O meu mensageiro, que preparará o caminho diante de Mim” como sendo João o Batista. (Mt. 11.9-13; Ml. 3.1). João o Batista de fato veio antes de Jesus (Lc. 1.15-17, 36, 76). Ele não veio para começar uma obra mas para preparar o material para que Jesus começasse a Sua igreja (Jo. 1.29-34). João veio batizando discípulos (Mt. 3.1-8) e destes que João batizou, Jesus escolheu doze para O seguir durante Seu ministério antes da Sua crucificação (Lc. 6.12-13).
Segundo a profecia de Malaquias (Ml. 3.1) e de Isaías (Is 40.3), aquele que deveria de vir depois de João seria o Senhor Jesus (“O Senhor”, “O Mensageiro da Aliança”, “A Quem vós desejais”). De forma alguma seria Pedro ou qualquer outro homem em qualquer época. A confissão de Pedro que Jesus é o Cristo o Filho do Deus vivo é o alicerce sobre qual Jesus edificou a Sua Igreja e não sobre a pessoa de Pedro (Mt. 16.13-19). Por isso Jesus chamou esta “ekklesia” (ajuntamento, reunião, congregação, igreja) a “minha Igreja”.
A igreja conhecida hoje pelo nome “Batista” é Bíblica pois começou no lugar certo. A Igreja neotestamentária começou na Palestina. Foi somente nessa terra que Jesus ministrou. Por isso seria impossível para a Igreja que Cristo instituiu a não ser de Palestina como também foi impossível para Jesus não nascer, crescer e ministrar em outro lugar a não ser em Palestina. A igreja neotestamentária que foi organizada em Palestina é aquela Igreja que em tempo oportuno na história veio a ser conhecida pelo nome Batista. Muitas outras igrejas de tipos diferentes foram organizadas na Europa, na America do Norte, e na America do Sul. Difícil seria para quaisquer destas igrejas que começaram em outros lugares comprovarem um histórico apoiado pela profecia do Velho Testamento, e pelo cumprimento desta profecia no Novo Testamento. Porém, os Batistas podem.
A Igreja Batista tem um começo Bíblico, pois foi constituída no tempo certo. A Igreja neotestamentária começou durante o ministério publico de Jesus. Até o tempo da ascensão de Jesus essa Igreja tinha o seu começo, uma membresia, as duas ordenanças, um tesoureiro, o seu pastor, a prática de disciplina, a formação básica de doutrina e a sua comissão. Tudo isso antes do dia de Pentecostes. No dia de Pentecostes essa Igreja foi autenticada do céu publicamente. Os que foram salvos e batizados no dia de Pentecostes foram agregados àquela instituição já existente e que contava com no mínimo 120 membros (At. 1.15; 2.41). Se pode dizer que a Igreja Batista é neotestamentária, pois foi instituída corretamente, ou seja, durante o ministério pessoal do Senhor Jesus Cristo.
O começo da Igreja Batista é Bíblico, pois começou com a membresia correta, ou seja, com os que João o Batista batizou. Jesus, o fundador, e todos os primeiros membros desta igreja foram batizados por João o Batista. Em I Co. 12.28, Paulo nos ensina que Deus pôs na Igreja primeiramente os apóstolos. Para ser um apóstolo, era necessário, entre outras qualificações, conhecer o batismo de João (At. 1.21-22). Somente aquela igreja que tem Cristo como fundador e foi instituída na Palestina durante o Seu ministério público pôde ter a membresia inicial correta e assim ter o começo Bíblico.
Desde então a membresia deve ser somente de salvos. Somente pessoas convertidas com a salvação assegurada pela graça em Jesus Cristo devem ser membros. No Novo Testamento a mensagem é: o sangue antes da água. João o Batista pregou o arrependimento e a fé para ser salvo (Mt. 3.1-2). Os que ele batizou no rio Jordão foram os que confessaram os seus pecados (Mt. 3.6). A necessidade da fé antes do batismo é enfatizada por Marcos quando registra “Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado” (Mc. 16.16). No dia de Pentecostes quem poderia ser batizado em nome de Jesus Cristo foi os que arrependeram-se dos seus pecados. A estes o batismo era administrado “para”, ou, ‘em referencia ao’ perdão dos seus pecados (At. 2.37-38). Enfatizando essa instrução de Pedro foi a prática que logo seguia, ou seja, os que de bom grado receberam a Palavra foram batizados (At. 2.41). O diácono Felipe instruiu o Eunuco que nada lhe impediria que fosse batizado se antemão de todo coração cresse. Depois da sua confissão de fé, Felipe o batizou (At. 8.35-39).
Para uma igreja ser Bíblica não pode ser como a Igreja Católica ou as igrejas da Reforma (Presbiteriana, Luterana, Anglicana). Essas permitem ter entre os seus membros os que não se arrependeram ou confessaram sua fé pessoal em Cristo. Também permitem outros abusos de doutrina tais como o batismo infantil, o batismo pela aspersão, a transubstanciação, e a consubstanciação. Por estas razões sou Batista. Também sou Batista por que:
II. A Sua Mensagem Limita-se Ao Evangelho Eterno
A Igreja neotestamentária tem o evangelho correto. O evangelho é a mensagem de Jesus Cristo. Essa mensagem inclui a Sua primeira vinda segundo a profecia; a Sua vida imaculada conforme as Escrituras; a Sua morte em substituição para todos aqueles que se arrependem e crêem nEle. Também inclui o Seu sepultamento por três dias; a Sua ressurreição no terceiro dia e a Sua ascensão à destra do Pai conforme as Escrituras (I Co. 15.1-8). A promessa da Sua segunda vinda segue logo nessa mensagem. Este evangelho começou a ser aberto e publicamente ministrado pelo ministério de João o Batista (Mc. 1.1-8; Mt. 11.13; Lc. 16.16). Mesmo que o Velho Testamento, na Lei e na Profecia, por simbologia, figuras e tipos pregava o Evangelho eterno, tudo qual foi cumprido em Jesus Cristo, temos no Novo Testamento o próprio Cristo presente. Este Evangelho não foi apenas pregado por João mas também por Jesus (Mc. 1.14-15) e pelos Apóstolos (At. 8.25; 20.21; 26.20). Jesus também enfatizou que este mesmo evangelho do reino “será pregado em todo mundo, em testemunho a todas as nações” (Mt. 24.14). Quer dizer, aquilo estabelecido por João no principio do Evangelho não terá mudança. Não há um evangelho diferente para os Judeus antes do dia de Pentecostes e para os Gentios que seriam salvos depois deste evento (At. 15.9; Rm. 1.16). Se você necessita de descanso para a sua alma, arrependa-se dos seus pecados e creia já em Jesus Cristo.
Cristo consumou a obra da salvação na cruz e o Seu Pai O ressuscitando deu certeza a todos que Ele aceitou a obra consumada do Seu Filho (At. 17.30-31). Na Bíblia, a observação de uma ordenança eclesiástica nunca é posta entre a fé em Cristo e a salvação. Foi Cristo quem morreu e quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à destra de Deus onde intercede pelos Seus. Não existe condição de observar uma ordenança da igreja para ser salvo (Rm. 8.34). Quem confia neste evangelho de Jesus Cristo tem a vida eterna agora (Jo. 3.36; 5.24) e para sempre (Jo. 10.27-28). Este foi o Evangelho que o próprio Filho de Deus pregou aqui na terra (Mt. 4.17, 23). Quando Cristo foi para o céu Ele legou este mesmo Evangelho àquela instituição que Ele chamou a “Minha Igreja”.
O necessário para ser salvo é o arrependimento dos pecados e a fé em Cristo Jesus (At. 16.30-31). Já está em Cristo? O batismo declara publicamente o que já aconteceu literal e espiritualmente no coração. Não há batismo que sela, confirma, completa, apóia, ou de outra forma ajuda aquela obra que Jesus veio a fazer, ou seja, buscar e salvar aquilo que havia perdido (Lc. 19.10). Se o batismo segurasse, completasse ou de outra forma auxiliasse a salvação, tanto os do Velho Testamento quanto o malfeitor arrependido na cruz faltariam algo para serem salvos perfeitamente, pois estes não foram batizados com o batismo neotestamentário. Mas, enfatizando que o batismo não segura, completa, ou de outra forma auxilia a salvação, temos a Palavra de Jesus prometendo ao malfeitor salvo na cruz mas sem o batismo: “Hoje estarás comigo no Paraíso”. Todos do Velho Testamento que também creram em Cristo são salvos eternamente sem o batismo pois Jesus, “Com uma só oblação aperfeiçoou para sempre os que são santificados”. Todos em Cristo têm a promessa que Deus jamais se lembrará de seus pecados e de suas iniqüidades. Se Cristo não basta não há mais oblação para o pecado (Hb. 10.10-18; Gl. 3.3). O batismo não ajuda ninguém a entrar na fé como também não segura os já na fé. Não é neotestamentária a doutrina pregada em muitas igrejas pentecostais ensinando que através de um tipo de batismo o Cristão melhora a sua salvação. A Bíblia ensina que o pecador injusto é trazido ao Justo somente pelo padecimento de Cristo, algo que o batismo apenas figura (I Pe. 3.18-22). A Bíblia também ensina que existe um só batismo verdadeiro (Ef. 4.5).
Enquanto as igrejas Protestantes misturam o Evangelho com as ordenanças, e muitas das igrejas Pentecostais misturam a manutenção da salvação com a obediência pessoal, os Batistas se limitam ao Evangelho eterno como tudo necessário para o pecador ser salvo eternamente. Por ser a sua mensagem o Evangelho Eterno, eu sou Batista.
Também sou Batista por que:
III. A Sua Missão é Única
Quando Jesus deu as chaves do Seu reino àquela instituição que Ele iniciou na Palestina durante o Seu ministério publico, Ele deu a ela a distinção de ser a instituição pela qual Deus trabalha na terra (Mt. 16.19; Ef. 3.21; I Tm. 3.15). Cristo autorizou e comissionou um tipo de ajuntamento de pessoas somente a evangelizar o mundo todo, a fazer discípulos em todas as nações, a batizar estes discípulos e a ensinar estes salvos tudo que Jesus mandou.
Se Deus estipulou um tipo de ajuntamento para fazer a Sua obra na terra, é presunção qualquer outro tipo de ajuntamento reivindicar tal distinção
Se Jesus comissionou aquele grupo que tem o começo Bíblico, outro grupo qualquer não tem a mesma comissão. Se Jesus comissionou este primeiro grupo de pessoas ajuntadas conforme a Sua vontade, e não há evidência de Ele incluir outros, somente um grupo com as características deste primeiro grupo de pessoas que Jesus ajuntou tem a autoridade para fazer essa comissão. Jesus prometeu: As portas do inferno não prevalecerão contra ela. Ele ensinou pela promessa a verdade que sempre existirá um grupo no mundo com as marcas distintivas deste primeiro grupo que Jesus começou.
O Espírito Santo pelo Evangelho de Mateus nos relata que este grupo recebeu a ordem de ir, fazer discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que Ele mesmo os mandou (Mt. 28.18-20). Por Ele introduzir essa comissão com a frase “e falou-lhes”, Ele determinou qual grupo deve obedecer tal ordem. Ele está de forma especial com este grupo até a consumação dos séculos.
O Espírito Santo pelo Evangelho de Marcos nos relata que exclusivamente este tipo de igreja em particular foi mandado a ir por todo o mundo, pregando o evangelho a toda criatura (Mc. 16.15). Novamente Jesus introduziu o grupo que Ele determinou a fazer essa comissão com a frase: “disse-lhes”. Com este grupo o Pai cooperou confirmando a Palavra com os sinais (Mc. 16.20).
O Espírito Santo pelo Lucas relata que somente este tipo de congregação deve pregar em Seu nome a remissão dos pecados, em todas as nações, começando em Jerusalém (Lc. 24.46-47). Repetidamente essa comissão é dada exclusivamente a um grupo: “E disse-lhes”.
O Espírito Santo pelo apóstolo João descreve que como o Pai enviou a Jesus para fazer uma obra específica, Jesus também enviou este tipo de igreja em particular (Jo. 20.21, “Disse-lhes, pois, Jesus”).
O Espírito Santo destaca um tipo de ajuntamento que receberia a virtude do Espírito Santo. Foi aquele ajuntamento que tinha o seu inicio antes do dia de Pentecostes. Este tipo de ajuntamento seria as testemunhas dEle tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra. (At. 1.4-8). Ele destacou qual grupo teria essa comissão pela frase: “E disse-lhes”.
Dou graças a Deus que existem pessoas salvas em outros ajuntamentos não neotestamentários, pois a Palavra de Deus é o poder de Deus para a salvação e não o ajuntamento. Damos graças a Deus que a Palavra de Deus é a semente incorruptível pela qual Seu povo nasce de novo (Rm. 1.16; I Pe. 1.23-25).
Porém, por Cristo entregar a esse tipo de ajuntamento bíblico a responsabilidade dessa comissão, somente esse tipo de ajuntamento neotestamentário tem a Sua autoridade de pregar, batizar e ensinar a Sua palavra. A autoridade de administrar as ordenanças é com este tipo de igreja neotestamentária somente. Por isso: Examine os que venham a nós de outras práticas. Aceitam apenas os batismos de igreja que têm a mesma prática. Nem todas as igrejas bem intencionadas têm a autoridade de Jesus Cristo.
Conclusão – Mesmo que nenhuma igreja tem o poder de salvar ou manter alguém nessa condição, e mesmo que nenhuma igreja tem exclusividade de ter todos os salvos como membro, existe um tipo de igreja que é bíblica e verdadeira. Essa igreja verdadeira é neotestamentária. Essa igreja verdadeira tem Jesus Cristo como Fundador; foi instituída na Palestina durante o ministério publico de Cristo e foi constituída no seu princípio por pessoas batizadas por João o Batista. Essa igreja prega o Evangelho eterno como suficiente para a salvação eterna e somente ela tem a autoridade de administrar as ordenanças dadas à igreja, ou seja, batizar e administrar a Ceia do Senhor. Hoje essa igreja geralmente é chamada pelo nome “Batista”.
Por causa de Deus receber glória por Jesus Cristo pela igreja correta (Ef. 3.21) eu quero ser cuidadoso acerca da igreja que faço parte. Em razão dos membros dessa igreja serem levados à fé e à obediência pela operação do Espírito Santo (Ef. 1.23; I Co. 12.13) quero ser parte dela. Pela razão que a obediência bíblica é pela atividade de uma igreja neotestamentária, eu quero servir numa igreja correta. Por isso sou Batista. Creio que você deve ser batista também pelas mesmas razões.
Os que querem servir seu Salvador com obediência neotestamentária fazem tal obediência melhor numa Igreja com os traços históricos dos Batistas.
Por que você é batista?
Para que você não é batista?
Bibliografia:
Biblia Sagrada, Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil, São Paulo, 1995.
PENDLETON, J. M., Why I am a Baptist, Stacy Printing Company, Buffalo, 1989.
STRONG, JAMES LL.D., S.T.D. Abingdon’s Strong’s Exhaustive Concordance of the Bible. Nashville, Abingdon, 1980
TAYLOR, H. Boyce, Why Be a Baptist? Ashland Avenue Baptist Church, Lexington, 1932.

Pastor Calvin G Gardner – http://www.PalavraPrudente.com.brPastorCalvin@PalavraPrudente.com.br

“Por que Batizas?”

“Por que Batizas?”
Leitura: Jo. 1.19-34
Texto: Jo. 1.25, “E perguntaram-lhe, e disseram-lhe: Por que batizas, pois, se tu não és o Cristo, nem Elias, nem o profeta?”
É bom sempre ser preparados para podermos responder com mansidão e temor a qualquer que nos pedir a razão da nossa ordem e fé (I Pe. 3.15). Tanto a indagação “Por que batizas?” quanto a sua resposta é o que trata o nosso estudo hoje. Os judeus mandaram de Jerusalém sacerdotes e levitas para que perguntassem a João algumas perguntas. A instituição religiosa daquele dia estava com dúvidas acerca do que estavam vendo no ministério de João O Batizador. Sentiram que a sua instituição estava sendo mais e mais ameaçada com a obra de João. João os respondeu apontando os ao Jesus Cristo e à Sua obra de Salvador. Em verdade, nunca podemos fazer melhor do que apontar todos ao Salvador Jesus Cristo.
Saber com qual autoridade João batizou é o cerne da indagação posta pelos sacerdotes e levitas a João. “Se tu não és o Cristo, nem Elias, nem o profeta” por que batizas? Se Cristo estivesse ai junto, não teriam O conhecido. João logo falou que Cristo estava no meio do judaísmo, estava na sociedade já, e estava cumprindo profecias mas não estavam O conhecendo (v. 26). Apontar todos a Jesus Cristo é o nosso privilegio, dá-lhes a visão necessária para enxergá-Lo é obra divina (II Co. 4.4-6).
Perguntaram isso por causa dos costumes deles.
Os costumes dos judeus ditavam que o batismo era uma cerimônia para ser observada com os prosélitos. Administrado para que os não-judeus pudessem ser admitidos na igreja dos judeus. Os filhos dos prosélitos eram batizados juntos com os pais (J. C. Ryle, Vol. III, pg. 52). Eles queriam saber se João estava fazendo isso.
Os levitas, que foram enviados pelos judeus de Jerusalém ao João, perguntaram a João o porquê que batizava por que eram responsáveis a guardar a adoração incorrupta e isso incluía a observação correta do batismo com a autorização devida. Eles quiseram julgar se João estava fazendo tudo conforme as regras de judaísmo.
Os sacerdotes, que foram enviados pelos judeus de Jerusalém ao João, perguntaram a João o porquê que batizava por que eram especialmente rígidos sobre o uso de cerimônias, ordenanças e suas formas. Portanto estes questionavam João acerca da sua autoridade. Deve ser admitido que o rigor que tinham para essa questão não era para serem obedientes ao Senhor mas para assegurarem que as tradições deles próprias fossem observadas.
A pergunta que os judeus fizeram ao João é correta, mas não o propósito. Deveriam ser interessados em julgar a si mesmos diante de Deus em vez de julgar o enviado de Deus pelos seus costumes e regras. Quero fazer a pergunta correta e quero fazê-la com o propósito correto. Pergunto: Estamos seguindo o que Cristo comissionou o Seu ajuntamento a fazer? Por que batizamos? Quem está recebendo a glória?
O Batismo é uma ordenança divina e portanto tem significativas importantes.
Qualquer ordenança não é: Fonte da graça. A graça vem de Deus e, por ser graça, é dada soberanamente para os que não têm méritos (Efésios 2:8,9). O batismo não é portanto um sacramento (algo feita para fornecer o poder da salvação ou para completá-la).
Essa ordenança não é: Fonte de vida. Qualquer memorial eclesiástico ou quaisquer obras humanas não têm como fornecer vida. A fonte da vida eterna vem de uma pessoa divina: Jesus Cristo (João 10:25-30;14:6); Primeiramente vem a salvação, e, depois, vem as ordenanças (Mar 16:16; Atos 2:41; 8:36,37). Veja o ladrão na cruz: Luc 23:43, “…hoje estarás comigo…” (mesmo sem batismo). Judas foi batizado, mas não foi salvo (Atos 1:25); também Simão, o mágico, (Atos 8:13, 21). O Sangue de Cristo tem que ser aplicado para haver a salvação (I Pedro 1:18,19). Esse sangue é aplicado em todos que se arrependem dos seus pecados e crêem pela fé no Senhor e Salvador Jesus Cristo. Já está em Cristo?
A ordem de batizar não é: Uma cerimônia cristã para todas as pessoas em geral. Ela foi dada às suas igrejas em particular (Mat. 28:18,19, “falou-lhes…”) e não ao mundo religioso em geral.
O Batismo não é: Uma opção pessoal. É uma ordem, um decreto ou lei (Mat. 28:18,19; Mar l6:15,16; Não deve ser deixado ao lado: Heb 10:23-25). Como podemos ser indiferentes diante da ordem de Cristo?
A sua atitude diante as ordens de Deus revela o estado do seu coração. Notai o que Jesus disse do batismo de João em Lucas 7.29-30: “E todo o povo que o ouviu e os publicanos, tendo sido batizados com o batismo de João, justificaram a Deus. Mas os fariseus e os doutores da lei rejeitaram o conselho de Deus contra si mesmos, não tendo sido batizados por ele.”
Deixo a indagação para você responder: Sabe por que batizamos? Por que você está submetendo-se à esta ordenança? Já está em Cristo?
A pergunta dos sacerdotes e dos levitas traz a tona que existe um Administrador correto desta ordenança. Na concepção deles, se João fosse Cristo, ou Elias, ou um profeta, poderia ter administrado o batismo.
Os judeus quiseram saber quem era João. Quando ele admitiu que não era o Cristo, nem Elias, nem o profeta, importaram muito a saber quem ele pensou que era para batizar. Ele respondeu (v. 33) que foi Deus que o mandou a batizar.
A bíblia revela que o administrador devido é aquele autorizado por uma igreja neotestamentária.
Importa o administrador do batismo ter a autoridade correta. O administrador não é maior do que a igreja que dá autoridade a ele. João sempre manifestou humildemente que aquele que o autorizou era maior dele. A igreja neotestamentária é maior do que os seus oficiais.
O batismo bíblico requer tanto uma Autoridade correta quanto um Administrador apropriado
Veja a autoridade correta e o administrador correto pela seguinte seqüência bíblica:
1. João 1:6 – Deus escolheu um homem. Esse homem tinha autoridade para batizar e assim o fez. Mat. 3:6. Obs.: não foi uma mulher que Deus escolher nem qualquer Cristão.
2. Mat. 3:13-17 – Cristo foi batizado por aquele homem. Era para cumprir “…toda a justiça.”
3. João 4:1,2 – Jesus autorizou os Seus discípulos, não as mulheres, ou qualquer homem ou qualquer crente.
4. Mat. 28:19 – Jesus comissionou a igreja verdadeira a batizar. Aquela igreja era o ‘ajuntamento’ dos discípulos. Essa igreja que Cristo instituiu e todas as que espelham ela pelos séculos têm a autoridade correta para batizar.
5. Atos 13:l-3 – A igreja envia homens chamados por Deus. Esses homens têm a autoridade para batizar (“obra do ministério”, Ef. 4:11-16).
Está percebendo por que batizamos? Entenda por que não aceitamos todos os batismos de todas as igrejas como válidos? É por que nem todos têm a comissão de Cristo e, portanto, erram tanto na autoridade quanto no administrador. Não digamos que outras igrejas não tenham salvos nelas. Só duvidamos que estejam como aquela igreja que Cristo instituiu e comissionou a fazer a evangelização, e a obra do ministério nesta terra até que venha. Portanto, não sendo como ela, não tem a autoridade dEle.
A pergunta: “por que batizas? foi dirigida a João quando batizava (v. 28). Essa pergunta também trata sobre quem são os candidatos apropriados para serem batizados.
Sabemos que João batizava exclusivamente os salvos (Mt. 3.6-8). Ele creu, como todo batista verdadeiro, que o sangue antecede a água; a salvação se dá primeiramente.
“Não ensinamos que o batismo é essencial para a salvação,
pelo contrário, que a salvação é essencial ao batismo”
J. R. Graves, O BATISMO ESTRANHO E OS BATISTAS, citado por W. M. Nevins
João pediu uma qualificação dos que ele batizou: Mat. 3:8, “Produzi pois frutos dignos de arrependimento.” Não frutos dignos de emoção, inteligência ou filosofia, mas de arrependimento. Uma mudança radical de mente e atitude, de coração ao respeito do pecado e de Deus é necessária.
Jesus explicou que quem deve ser batizado são os crentes: Mar. 16:16, “Quem crer e for batizado….mas quem não crer”.
O exemplo bíblico dos que foram batizados no Novo Testamento foram os que primeiramente justificaram a Deus: Atos 2:41, “foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra”; Gal 3:27, “todos batizados … já vos revestistes de Cristo.”; Eunuco (Atos 8:36-38); Coríntios (Atos 18:8); (Éfeso) Atos 19:1,5. De Deus vem a verdade e a Vida. Procure essa vida nova de Deus por intermédio de Cristo!
O batismo simboliza o Salvador – Cristo. I Cor 15:3-6; II Cor 5:21. O evangelho é pregado pelo batismo pois declara:
1. Sua obediência – Fil. 2:8
2. Sua morte pelos pecados – Rom 5:8
3. Seu sepultamento – I Cor 15:3-6
4. Sua ressurreição vitoriosa – I Cor 15:20

B. O batismo simboliza o Candidato – O Cristão Rom 6:1-11; Col 2:8-23 (v. 12, 20). O evangelho é testemunhado pelo batismo pois o candidato declara:
1. Sua desobediência – v.6, “o nosso homem velho” “o corpo do pecado”; Efés 4:22, “trato passado…velho homem”
2. Sua morte com Cristo pelos pecados – v.4, “sepultados com Ele pelo batismo na morte”; v.6, “foi com Ele crucificado”; Col 3:3, “Porque já estais mortos”. Mortos ao poder e pênalti do pecado na nossa lógica, nossos hábitos de língua, vestimenta, à uma submissão completa à Palavra de Deus. O perfeccionismo não está sendo ensinado, mas a santificação. O cristão tem um novo estilo de vida, com um alvo de ser feito conforme a imagem de Cristo mais e mais todos os dias. A luta contra o pecado continua – Rm. 7.23; Gl. 5.17.
3. Sua ressurreição espiritual agora, e na segunda vinda de Cristo, a sua ressurreição corporal e literal – v.4, “para que, como Cristo ressuscitou dos mortos…assim…nós também..”; v.5, “também o seremos na da sua ressurreição”; v.8, “também com Ele viveremos”; v.11, “mas vivos para Deus”; Gal 2:20, “crucificado…e vivo”; Col 3:1, “Portanto, se já ressuscitastes com Cristo”
4. Sua vida nova obediente na terra. Seu testemunho – v.10, “quanto a viver, vive para Deus.”; v.11, “vivos para Deus em Cristo Jesus nosso Senhor.”; Gál 2:20, “vivo-a na fé”; Gál 5:24,25, “crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências … andemos também em Espírito”; Col 3:1, “buscai as coisas que são de cima”. O desejo é ter a imagem de Cristo na vida.
Há um só Senhor correto, uma só fé correta, e um só batismo correto. Ef. 4.5.
Conhece este Senhor?
Já conhece esta fé?
Sabendo por qual autoridade João batizava e qual é o administrador correto e quem ele batizava, você é um candidato propício para este batismo neotestamentário para ser membro desta igreja que espelha aquela que Cristo instituiu em Palestina?
Sabe por que batizamos?
Sabe por que você está se submetendo ao batismo?
Bibliologia
Bíblia Sagrada. São Paulo, Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil, São Paulo, 6/95.
NEVINS, W. M. O Batismo Estranho e os Batistas. Little Rock, Challenge Press, 1981.
POOLE, Matthew, A Commentary on the Holy Bible., MacDonald Publishing House, McLean, sd.
RYLE, J. C., Ryle’s Expository Thoughts on the Gospels,Volume III.,Baker Book House, McLean, 1982.
Pastor Calvin G Gardner – http://www.PalavraPrudente.com.brPastorCalvin@PalavraPrudente.com.br 08/2009

AS OVELHAS E AS MAÕS DO PASTOR

AS OVELHAS E AS MAÕS DO PASTOR
João 10.27-30
“As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem; e dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão. Meu pai, que mas deu, é maior de que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu pai. Eu e o pai somos um” (João 10.27-30).
Neste contexto, o Senhor Jesus esta ensinando sobre a segurança eterna das suas ovelhas, mostrando a importância da sua palavra para as suas ovelhas, afinal as suas ovelhas não escutam a voz de um estranho (João 10.5). mas exclusivamente a voz do bom pastor, que e Cristo o Senhor (João 1.:4).
São ovelhas de Cristo aquelas que escutam a palavra de Deus, ou seja dão ouvidos ao que a bíblia diz. Há muitos que levam o nome de crentes em Cristo mas buscam a palavra em outros lugares, e não na Bíblia a verdadeira palavra de Deus. Não há outra palavra verdadeira em nem um outro lugar. O miserável pecador não encontrara a mensagem de Deus em outro lugar, a não ser nas Escrituras Sagradas, a Palavra do Deus vivo. Dela disse Jesus “santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade” (João 17.17). Logo quando o homem busca a palavra em outro lugar, é lógico que ele vai receber a palavra de um outro deus, o deus deste século (II Co 4.4), ou seja o Diabo, Satanás, a Antiga Serpente. O apostolo Paulo adverte sobre este perigo “mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios;” (I Tm 3.1). Porem os que são de Cristo escutam a Sua Palavra, a Palavra revelada por Deus, a Bíblia Sagrada.
O resultado de ouvir a palavra de Cristo é a outorgação da vida eterna pelo próprio Senhor Jesus Cristo. Ele afirma “e dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão” (João 10.28). Deixando assim as suas ovelhas completamente seguras quanto à salvação. As ovelhas de Cristo nunca entrarão no inferno. Elas jamais serão tiradas da mão do seu bendito Salvador.
Não há lugar mais seguro do que as mãos do Senhor Jesus
Quantos estão distantes desta grande dádiva de estarem nas mãos do Senhor Jesus por causa da fé (falsa doutrina). Ou seja da falsa fé, ou por causa da falta de fé. A falsa fé nos ensinos religiosos divorciados da verdade bíblica; falsa fé nas tradições humanas; a falsa fé nas doutrinas de demônios e nos ensinos de espíritos enganadores (I Tm 4.1). Todas estas armadilhas mantêm o pecador distanciado da verdade, a Palavra de Deus (João 17.17). Sendo o carro chefe deste cartel maligno a falsificação da doutrina da salvação. Ou seja os falsificadores da mensagem de Cristo negam a sua divindade, ao ensinarem que o crente salvo por Jesus Cristo pode perder a sua salvação. Contrariando o “nunca hão de perecer” de Cristo em (João 10:28).
Já outra corrente de falsários ensina que o pecador não pode ter certeza da sua salvação, afirmando ser pecado, a convicção a respeito da salvação, contrariando o que a Bíblia diz em Romanos “e com a boca se faz confissão para a salvação” (Rm 10.10). Porque agem assim? por negligenciarem a palavra de Deus, o ensino de Cristo, tendo como conseqüência à eterna separação de Deus e do seu céu, ou seja o inferno.
Estes afirmam constantemente “Senhor, Senhor” como faziam os fariseus em relação ao Deus pai. Diziam eles serem filhos de Deus, sendo na realidade filhos do diabo, como afirmou Jesus (João 8.44) “vós tendes por pai ao diabo…” Fiquemos com a Palavra de Deus, crendo verdadeiramente na mensagem da cruz, que para muitos é loucura, mas para Deus é poder para salvação.
“Meu pai que mas deu é maior do que todos e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu pai” (João 10.29). Neste contexto encontramos segurança sobre segurança. É o Deus todo poderosos revelando a sua capacidade de salvar o pecador, capacidade essa inerente exclusividade de Deus. Deus é o salvador, não há salvação fora de Deus. O homem não alcança salvação por capacidade própria “do Senhor vem a salvação” (Jonas 2.9).
Portanto, moralidade não salva, obras, não salva, a lei não salva, religiosidade não salva, só Jesus Cristo salva. Se você não é salvo, está indo para o inferno. Cristo pode salva-lo, arrependa-se e confie em Cristo como o seu único e todo suficiente salvador. Pr. Anízio Gomes

%d blogeri au apreciat asta: